20 de ago de 2007

Aterro Sanitário de Canoas no bairro Guajuviras recebe menos lixo do que é informado pela Prefeitura

Aterro Sanitário Municipal, no bairro Guajuviras, recebe menos lixo do que é informado pela Prefeitura de Canoas.O Estudo de Pré-viabilidade, confeccionado pela BOURSCHEID S/A Engenharia Ambiental, empresa contratada pela Prefeitura de Canoas (RS), em sua página 30, no que se refere à coleta de lixo domiciliar, diz que o “custo atual [da coleta do lixo] é de R$ 73,57/ton e o volume médio atual é de 240 ton/dia”. Mais adiante na página 32, desse mesmo Estudo de Pré-viabilidade, consta o seguinte: ”Já o Aterro Sanitário Municipal que existe em Canoas parece estar próximo do final da sua vida útil. A utilização desse aterro que é responsável pelo recebimento da coleta domiciliar, natureza industrial, comercial e de prestadores de serviços que tenha natureza semelhante aos resíduos domiciliares e da construção civil. O aterro recebe cerca de 6.060 toneladas por mês de resíduos a um custo de R$ 33,44 por tonelada.” Há uma informação relevante [nessas páginas 30 e 32] do Estudo de Pré-viabilidade e que causam um problema enorme para a concorrência da Mega PPP do lixo, promovida pela Prefeitura de Canoas. Ora, se o Aterro Sanitário Municipal de Canoas, no bairro Guajuviras, recebe 6.060 toneladas por mês de resíduos (declarados na pág.32 do Estudo de Pré-viabilidade), e esse mesmo estudo menciona que esse mesmo “Aterro Sanitário Municipal” é o responsável pelo recebimento da coleta domiciliar, natureza industrial, comercial e de prestadores de serviços que tenha natureza semelhante aos resíduos domiciliares e da construção civil”, isso significa que o município de Canoas não pode produzir 240 toneladas de lixo domiciliar por dia, em média, visto que ao considerar 26 dias no mês, somente com os resíduos domiciliares, a prefeitura coletaria (240 ton/dia X 26 dias) o total de 6.240 ton/mês, quantidade essa superior a informada no Estudo de Pré-viabilidade (6.060 ton/mês), documento esse que a Prefeitura faz integrar na concorrência [no.31/2007] da Mega PPP do lixo canoense. Duas informações relevantes. A primeira: Os demais resíduos de “natureza industrial, comercial e de prestadores de serviços que tenha natureza semelhante aos resíduos domiciliares e da construção civil”, oriundos de Canoas, não estão sendo considerados para efeito desse cálculo, se somados as 6.240 ton/mês de lixo domiciliar ultrapassam ainda mais o valor declarado nesse “Estudo de Pré-viabilidade”. A segunda informação é que ainda não estão computadas nesse mesmo cálculo, as toneladas de resíduos domiciliares e urbanos, oriundos do município de Nova Santa Rita (RS), que tem por destino final esse mesmo Aterro Municipal de Canoas. Para complicar a Prefeitura canoense faz publicar o ANEXO IV - MODELO DE PROPOSTA FINANCEIRA /PLANO DE NEGÓCIOS E INVESTIMENTOS, onde consta no item 1 - Coleta e Transporte dos Resíduos Sólidos Domiciliares, que a Quantidade Mensal Inicial é de 5.300 toneladas [coleta de lixo domiciliar]. (Fonte www.mafiadolixo.com.br 31/07/07)

Nenhum comentário: